Motorista envolvido em briga de trânsito em Joinville é denunciado por homicídio doloso
05/02/2019 19:21 em Polícia

Denúncia do MP aponta que o motociclista Jean Everson Raymundo utilizou um capacete, além de chutes, socos e pontapés, para matar Murilo José Coelho. Fato aconteceu em 19 de janeiro

 

 

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) ofereceu denúncia por homicídio doloso – quando há intenção de matar – contra Jean Everson Raymundo, 23 anos, após uma briga de trânsito que vitimou Murilo José Coelho, em Joinville. Inicialmente, o caso era investigado como lesão corporal com resultado morte. O caso aconteceu no bairro Vila Nova em 19 de janeiro.

A denúncia, assinada pelo promotor Cesar Augusto Engel, aponta que o motociclista Jean utilizou um capacete, além de chutes, socos e pontapés, para matar Murilo depois de uma briga de trânsito no bairro Vila Nova, na Zona Oeste da cidade.

A denúncia também aponta que a vítima foi morta por motivo fútil e com emprego de meio cruel. De acordo com o delegado Fábio Baja, responsável pelas investigações, inicialmente o inquérito policial foi instaurado por lesão corporal com resultado morte – crime intermediário entre o homicídio doloso (quando há intenção de matar) e culposo (quando não há intenção de matar).

Entretanto, no curso das apurações, a Polícia Civil reuniu provas que comprovaram o fato como sendo um homicídio doloso. O laudo pericial, concluído no final do mês passado, demonstrou que Murilo tinha diversas lesões em várias partes do corpo, como cabeça, boca, pescoço, cotovelo e joelho.

Defesa diz que falta complementação técnica de outros pontos

A defesa tem até a próxima sexta-feira (8) para apresentar a resposta prévia à denúncia. De acordo com Nair Aline Tomaz, advogada de Jean, o processo ainda está sendo analisado e, os laudos técnicos, verificados para dar continuidade à abordagem do processo de defesa.

— O que me chamou atenção, em um primeiro momento, foi o exame de Corpo de Delito do acusado. Eu verifiquei que ele não tinha nada em mãos, apenas os arranhões nos joelhos. Não posso dizer que nossa defesa vai usar somente isso, porque falta a complementação técnica de outros pontos que ainda vão ser inseridos — completa.

Relembre o caso

A morte foi registrada por volta das 17h45 do dia 19 de janeiro depois de um acidente de trânsito que envolveu a motocicleta guiada por Jean e o carro conduzido por Murilo. O acidente ocorreu na Rua Leopoldo Beninca com a Rua Joaquim Girardi. Apesar de, a princípio, o acidente ter sido leve — não havia nem mesmo sinais da colisão na lataria do carro nem na moto —, o motociclista teria iniciado uma discussão.

Uma testemunha-chave que acompanhou toda a ação contou à polícia que o motociclista teria se exaltado e entrado em luta corporal com a vítima. A versão é descrita pelo delegado que investiga o caso, quando questionado se houve agressão física contra Murilo.

— Teve agressão violenta do motoqueiro contra a vítima. Segundo essa testemunha, que estava num carro atrás da moto antes de acontecer o acidente, o Jean estava com a namorada dele (de 17 anos), que estava na garupa e machucou o pé com a batida. Então o Jean ficou extremamente violento, arrancou o motorista do carro e bateu nele com socos e “capacetadas”. O Murilo bateu forte com a cabeça no chão e, mesmo no chão, o Jean ainda chutou a cabeça dele — declarou Baja à reportagem.

Receba Notícias e Informações diretas no seu celular:  Clicar aqui

 

COMENTÁRIOS