Publicidade
Lobo-marinho filhote aparece na Barra da Lagoa, em Florianópolis
28/06/2018 08:36 em Novidades

Lobo-marinho filhote aparece na Barra da Lagoa, em Florianópolis

Veterinários dizem que é comum que os animais venham às praias da região nesta época do ano.

Um lobo-marinho juvenil apareceu no início da manhã desta quarta-feira (27) na praia da Barra da Lagoa, em Florianópolis. O animal foi monitorado pelas veterinárias e biólogas da Associação R3 Animal junto ao Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) e aparentava estar apenas descansando.

— O animal estava ativo e em bom estado nutricional, o que indica ótimo estado de saúde — informa a veterinária Marzia Antonelli. Por volta das 11h, o lobo-marinho voltou para o mar e não foi mais visto.

 

Foto: Emanuel Ferreira / R3 Animal

A médica veterinária Janaína Rocha comenta que é bastante comum lobos-marinhos aparecerem nas praias da região nesta época do ano, vindos de colônias do Uruguai e Argentina. E como são animais selvagens, é preciso tomar algumas precauções.

— Na maioria das vezes, eles só querem descansar. Mesmo assim, são animais que se estressam com facilidade, portanto, é muito importante manter distância e evitar que animais de estimação tenham qualquer contato com o animal, pois eles podem transmitir doenças aos lobos-marinhos — explica Janaína. 

Também é prudente evitar tirar fotos com o uso de flash e nunca fornecer alimento ou forçá-los a entrar na água. Se você encontrar um mamífero, tartaruga ou ave marinha, ligue para 0800-642-3341.

 

Foto: Emanuel Ferreira / R3 Animal

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

Fonte: ocp.news.com.br

COMENTÁRIOS