Publicidade
Santa Catarina registra atos em defesa da educação
15/05/2019 17:58 em Educação

Santa Catarina registra atos em defesa da educação

Manifestantes caminham pelas ruas de Florianópolis nesta tarde. Outras cidades do estado também aderiram ao protesto nacional.

Manifestantes de Santa Catarina seguem na tarde desta quarta-feira (15) protestando contra o corte de recursos para a educação anunciado pelo Governo Federal. Florianópolis, São Miguel do Oeste, Blumenau, Joinville, Jaraguá do Sul, Criciúma e Camboriú fazem atos nesta tarde.

Todos os estados e o DF têm atos contra bloqueios na educação

Pela manhã, houve protestos em Florianópolis, Itajaí, Blumenau, São Francisco do Sul, Camboriú, Lages, Joinville, Concórdia e Chapecó.

Continua depois da publicidade

 

Na capital catarinense, por volta das 13h30, estudantes e professores saíram da UFSC em caminhada pelas ruas da cidade (veja vídeo acima). De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da UFSC (Sintufsc), 10 mil pessoas estavam na manifestação até as 14h. A PM informou que vai esperar o ato chegar ao Centro da cidade para contabilizar participantes.

 

Manifestantes em frente ao Ticen protestam contra cortes na educação — Foto: Jean Raupp/NSC TV

 

Manifestantes fazem passeata pela Avenida Beira-mar Norte, em Florianópolis — Foto: Jean Raupp/NSC TV

 

Florianópolis realiza ato em defesa da educação — Foto: Leonardo Thomé/NSC TV

 

Mobilização em Florianópolis toma Avenida Beira-mar Norte — Foto: Leonardo Thomé/NSC TV

 

 

Florianópolis (SC) tem protesto contra bloqueios na educação — Foto: Leonardo Thomé/NSC TV

Florianópolis

Milhares de pessoas se deslocaram nesta tarde da UFSC, no bairro Trindade, em protesto pelas ruas da capital catarinense. Outro grupo estava desde o início da tarde concentrado na Catedral Metropolitana de Florianópolis.

No início do ato, os universitários bloquearam uma faixa do trânsito sentido Centro na Avenida Lauro Linhares. O grupo seguiu em protesto pelo bairro Itacorubi. A Avenida Beira-mar, na região Central, foi parcialmente fechada para o ato. Às 15h, eles já estavam na altura do bairro Agronômica. Na sequência, ocuparam a Avenida Mauro Ramos, no Centro.

Houve concentração dos manifestantes das universidades com as pessoas que já aguardavam no Centro e às 16h, quando uma nova caminhada foi iniciada. Às 17h, parte do grupo estava no Terminal de Integração do Centro (Ticen) e outra parte caminhava pela Rua Tenente Silveira, no Centro. A Avenida Paulo Fontes estava fechada nos dois sentidos.

A Polícia Militar interrompe o tráfego de veículos em vias paralelas aos locais de ato na cidade.

 

Manifestantes caminham pela faixa da direita sentido Centro em Florianópolis — Foto: Jean Raupp/NSC TV

 

 

Ato em defesa da educação ocorre na Catedral de Florianópolis — Foto: Flávia Terres/G1

 

Grupo de manifestantes também se reuniu na Catedral de Florianópolis — Foto: Flávia Terres/G1

 

Florianópolis (SC) ) tem protesto contra bloqueios na educação. — Foto: Flávia Terres/G1

Manifestantes desceram a Avenida Mauro Ramos em Florianópolis — Foto: Gabriela Machado/NSC TV

Camboriú

Em Camboriú, no Litoral Norte catarinense, alunos do IFSC também realizam protestos. Eles estão reunidos na Praças das Figueiras, no Centro da cidade.

 

Camboriú tem protesto contra bloqueios na educação — Foto: Luiz Souza/NSC TV

São Miguel do Oeste

Em São Miguel do Oeste, no Oeste catarinense, centenas de alunos, professores, servidores municipais e estaduais participam de uma caminhada nesta tarde.

O grupo começou o trajeto às 14h30, da Praça Praça Belarmino Annoni até a Praça Valmir Botaro Daniel.

 

Manifestação também ocorre em São Miguel do Oeste — Foto: Sandra Bataglin/Divulgação

 

Estudantes fazem ato em defesa da educação em Blumenau — Foto: Valeska Lippel/NSC TV

Blumenau

Em Blumenau, alunos e professores do IFSC, IFC, UFSC e da Universidade Regional de Blumenau (FURB) participam de ato na cidade. Às 15h, o grupo seguia do Teatro Carlos Gomes para a Rua 15 de Novembro. O ato se encerrou às 16h20.

Segundo os organizadores, 600 pessoas estão no local. Já a PM contabiliza 400.

Joinville (SC) realiza ato na Praça da Bandeira — Foto: André Zanfonatto/NSC TV

 

Joinville realiza ato em defesa da educação — Foto: André Zanfonatto/NSC TV

Joinville

Manifestantes também realizam ato na Praça da Bandeira em Joinville, no Norte catarinense. Segundo a PM, cerca de 400 pessoas estão no local.

 

Ato em defesa da educação ocorre no Centro de Jaraguá do Sul na tarde de quarta-feira (15) — Foto: Sinte-SC/Divulgação

Jaraguá do Sul

Em Jaraguá do Sul, no Norte do estado, ocorre desde as 14h um ato em defesa da educação. A manifestação ocorre no palco aberto ao lado do Museu da Paz, no Centro.

Segundo o Sinte-SC, participam do protesto cerca de 300 pessoas, entre estudantes do campus do IFSC, integrantes de sindicatos e moradores. A PM não contabilizou o número de manifestantes.

Durante o ato, ocorrem intervenções de alunos, palavras de ordem e falas em defesa da educação pública. Os participantes também levaram faixas e cartazes.

 

Pessoas se reuniram na Praça Nereu Ramos em Criciúma — Foto: Carlos Rauen/NSC TV

Criciúma

O ato de Criciúma ocorreu por volta das 14h na Praça Nereu Ramos. Segundo a Polícia Militar, reuniu cerca de 200 pessoas. Já confirme o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Criciúma (Sinte) 600 pessoas estavam presentes.

 

Chapecó registra atos em defesa da educação — Foto: Letícia Ferreira/NSC TV

 

Chapecó

Manifestantes também realizam na tarde desta quarta-feira um ato na Praça Coronel Bertaso, no Oeste catarinense. A concentração iniciou às 16h. A organização do ato afirmou que havia cerca de 1 mil participantes às 17h25. Por volta desse horário, os manifestantes entregaram um documento simbólico à Gerência Regional de Educação.

 

Ato em defesa da educação ocorre em Chapecó nesta quarta-feira (15) — Foto: Letícia Ferrari/NSC TV

Bloqueios

O Ministério da Educação informou que cada universidade deve sofrer bloqueio de 24,84% das chamadas despesas discricionárias — aquelas consideradas não obrigatórias, que incluem gastos como contas de água, luz, compra de material básico, contratação de terceirizados e realização de pesquisas. A justificativa oficial é queda na arrecadação.

O valor total contingenciado, considerando todas as universidades, é de R$ 1,7 bilhão, ou 3,43% do orçamento completo — incluindo despesas obrigatórias.

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) também divulgou a suspensão da concessão de bolsas de mestrado e doutorado.

Fonte: G1 - SC  

Sua empresa em destaque, Informações só clicar aqui

Receba Notícias e Informações diretamente em seu celular: Só Clicar aqui

COMENTÁRIOS